Estudo elaborado pela consultoria Teleco mostra a evolução das tecnologias de TIC no Brasil e como essa história está diretamente ligada à trajetória do Futurecom. “Todas as tecnologias que ganharam importância ao longo do tempo foram debatidas no Futurecom”, afirma Hermano Pinto Junior, presidente do Futurecom, explicando que fica difícil separar a história do setor da história do evento. O estudo detalha essa evolução e faz um paralelo com o evento. 

No início de tudo, em 1998, ano da privatização da Telebrás, os temas principais estavam relacionados à telefonia fixa (sinalização), rádio ponto a ponto e à certificação de equipamentos. Nos cinco anos seguintes, cresceram de importância temas ligados à telefonia celular (3G), telefonia IP (VoIP, NGN), banda larga (fibra) e TV digital.

Acompanhando a evolução do mercado, a partir de 2005, o debate sobre convergência de serviços e triple play se tornou um dos temas principais.

Há 10 anos, em 2008, os temas que ganharam destaque durante o evento foram: 3G que estava chegando ao Brasil; a disputa entre Wimax e LTE como tecnologia para 4G; Comunicações Unificadas e NGN; TV Digital e IPTV, Satélite e Portabilidade.

Já na última década, os grandes temas foram Banda Larga (Fixa e Móvel), IoT (Internet das Coisas), Big Data e, mais recentemente, os efeitos da Transformação Digital. O estudo detalha a evolução destes temas, que foram debatidos nos painéis do Futurecom, nos últimos dez anos, com os vários tópicos em destaque. Essa evolução tecnológica se refletiu também em temas regulatórios, também discutidos ao longo dos últimos 20  anos. 

De acordo com Eduardo Tude, presidente da Teleco, o futuro também foi retratado pelo Futurecom em vários momentos. Por exemplo, o atual Presidente da Anatel, Juarez Quadros, que apresentará nessa edição da Futurecom uma palestra sobre os próximos 20 anos, já tratava do tema na edição de 1993. À época a palestra teve como tema “O Futuro do Sistema Telebrás em um ambiente de competitividade”.

Para os próximos anos, Tude entende que os temas que ganharão relevância no mundo das TIC e, obviamente, serão dissecados nas próximas edições do evento serão: 5G, Internet das Coisas, Transformação Digital e Inteligência Artificial. 

Na opinião da Teleco, o 5G deve chegar ao Brasil entre 2020 e 2025 e será utilizado para aumentar a capacidade das redes e também para a oferta de Banda Larga fixa. Atualmente, a IoT representa menos de 1% da receita das operadoras móveis. A expectativa é que esse número salte para 20% em 2023. Entre os destaques na utilização dessas tecnologias estão as Cidades Inteligentes, Carros Conectados e Autônomos, Gestão de Ativos e, no Brasil, o Agronegócio.

O estudo da Teleco revela ainda que as operadoras de Telecom se beneficiarão mais do que qualquer outra indústria dos benefícios da Inteligência Artificial, pois têm acesso a uma grande quantidade de dados.

O Futurecom, o maior e mais importante evento de Tecnologia e Telecomunicações da América Latina, completa 20 anos nesta edição, de 15 a 18 de outubro, no São Paulo Expo. Ao longo de sua história, o evento teve a presença de mais de mil expositores diferentes e acima de cem mil visitantes. 

Surgido em 1998, na cidade de Foz do Iguaçu, o Futurecom foi transferido para Florianópolis posteriormente, onde ocorreu entre 2001 e 2007. A partir de sua décima edição, passou a ser realizado em São Paulo, com duas realizações no Rio de Janeiro em 2012 e 2013. No ano passado, o Futurecom contou com a participação de mais de 220 expositores e 15 mil participantes, entre eles 5,3 mil congressistas.